Actividates realizadas 2020

Atividades realizadas pelo CIDAC em 2020

O CIDAC na reabertura do Jardim Botânico Tropical

Janeiro 25 e 26. O Jardim Botânico Tropical da Universidade de Lisboa reabriu em janeiro, após um ano de obras de requalificação. Para marcar a efeméride, a entidade organizou um fim de semana de atividades, desde visitas guiadas, concertos, a um mercadinho de rua, para o qual o CIDAC foi convidado a ter uma banca com produtos da nossa loja. Durante dois dias e com o apoio de algumas voluntárias, demos a conhecer o comércio justo às dezenas de pessoas que visitaram o jardim e que se aproximaram da nossa banca.
 
Projeto “Povos, Culturas e Pontes” no Seixal

Janeiro - maio. Pelo segundo ano consecutivo, o CIDAC iniciou um ciclo de sessões de sensibilização em escolas do concelho do Seixal, no quadro do projeto “Povos, Culturas e Pontes”, dinamizado pela Câmara Municipal do Seixal. Desde janeiro e até maio de 2020, iremos intervir em 4 escolas do concelho, junto das turmas do 7.º e do 8.º ano, com intervenções construídas à volta das temáticas do Comércio Justo e do Consumo Responsável. Além das sessões dirigidas diretamente aos alunos e alunas, este ano a nossa intervenção contempla também momentos de capacitação dos professores e professoras da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento das escolas envolvidas. Esta iniciativa de Educação para a Cidadania Global conta igualmente com a participação da associação Rato-ADCC, do Conselho Português para a Paz e Cooperação e da Fundação Gonçalo da Silveira.
Oficina de formação para docentes “Viver e mudar a escola em conjunto”

18 de janeiro. Terminou, a oficina de formação para professores e professoras dos Agrupamentos de Escolas Lindley Cintra e de Benfica, enquadrada no projeto “Escola, Ser Vivo dentro de um ecossistema”, desenvolvido pelo CIDAC e pela FGS.
Propusemos a um grupo de cerca de 20 professores/as um percurso de investigação e ação, imbuído dos valores e dos princípios da Educação para o Desenvolvimento-Educação para a Cidadania Global que defendemos. De setembro a janeiro, os e as docentes dividiram-se em grupos e trabalharam nas suas escolas problemáticas identificadas, criaram e aplicaram instrumentos de investigação que aprofundassem essas problemáticas e, com base nesse manancial de informação, delinearam pequenas ações a levar a cabo nos próximos meses.
A oficina contou com seis sessões presenciais, onde os grupos trocavam ideias sobre os seus percursos, pontuadas por muitos momentos de encontro dos grupos, de que faziam parte elementos das duas organizações. Os percursos dos vários grupos não foram lineares. Foram feitos de dúvidas, de avanços e recuos. Também a participação dos e das formadoras da oficina enquanto parte integrante desses processos não foi fácil gerir. No entanto, enquanto organizações que procuram questionar a sua prática, este foi um elemento de particular reflexividade.
No geral, os e as professoras fizeram uma avaliação positiva tanto do seu trabalho como da oficina. Ainda no âmbito desta formação, iremos organizar uma visita de estudo e as duas organizações irão continuar a acompanhar a implementação das ações desenhadas pelos grupos.